É normal que parte dos recursos ganhos com o provedor seja gasto com as despesas de capital ou compras de bens, o que definimos como CapEX – Capital Expenditure. Mesmo com uma boa gestão, a receita final ainda pode ficar comprometida, e é sempre bom economizar! Hoje queremos te mostrar que existem formas de maximizar a receita do seu provedor com quase nenhum aumento da CapEX. Saiba mais!

ISP (Internet Service Provider)

O provedor de internet é o ingresso da rede para o cliente. Como negócio, o foco principal dos ISP’s é fornecer um serviço consistente e de alta qualidade aos seus clientes, além de proporcionar um bom retorno sobre o investimento para seus acionistas.

Inicialmente, os ISP’s não tinham nenhum modelo de negócio no qual pudessem basear seus serviços, portanto tomavam como base os modelos de negócios (e serviços) dos provedores de serviços de comunicação existentes, as chamadas companhias telefônicas ou telcos.

Como resultado, e talvez porque eles também tenham recorrido fortemente a essas empresas, o provedor acabou mantendo a aparência tendenciosa da indústria de telecomunicações ao iniciar sua oferta de serviços.

Inclusive, um padrão similar de migração de talentos e modelos de negócios, também foi observado na transição da telegrafia para os serviços de telefonia.

De qualquer forma o provedor de hoje, tendo em grande parte ultrapassado essa fase de transição, enfrenta agora uma difícil tarefa: definir o próprio futuro e conquistar uma base de usuários de tecnologia de comunicação cada vez mais exigente e sofisticada!

Essa tarefa está colocando uma pressão cada vez maior para melhorar a receita por meio do aumento da quantidade de assinantes, receita pelo ticket médio e taxa de penetração para aproveitar cada vez melhor os investimentos feitos na  infraestrutura atual.

Como reduzir a CAPEX

É, mas não adianta se desesperar. É o seu provedor que está em jogo!

É possível realizar essa transição, gerar receita positiva ao final do mês e ainda assim minimizar os gastos com a CapEX. Hoje trouxemos 5 técnicas que podem te ajudar a cumprir essa missão! Acompanhe abaixo:

1) Reduzir as barreiras de entrada

É possível melhorar o alcance reduzindo as barreiras de entrada. Mas como? Isso pode ser feito por meio de ofertas pré-pagas ou de “curta duração”.

Um Provedor de Serviços de Banda Larga pode introduzir tarifas ou pacotes de banda larga pré-pagos de pequena denominação permitindo que os clientes mais sensíveis ao custo e/ou usuários com pouca utilização da Internet tenham acesso ao serviço de banda larga sob demanda, que é consumido conforme o uso.

Baixe Ebook Planejamento de Vendas para Provedores de Internet

2) Interoperabilidade com Wi-Fi

O suporte a interoperabilidade permite o serviço de roaming em áreas públicas onde, mesmo fora de sua casa, o cliente consegue acessar a Internet por meio de redes Wi-Fi como se estivesse em casa ou na empresa.

Os provedores podem fazer parceria com uma infinidade de locais onde há grande circulação de público:

  • Bares
  • Supermercados
  • Lanchonetes
  • Espaços públicos, através da prefeitura da cidade como praças e parques, e etc.

Essa parceria garante o acesso ao Wi-Fi a seus clientes em qualquer lugar.

Por exemplo, quando um cliente entra em uma lanchonete ele recebe uma notificação informando que uma rede Wi-Fi está disponível, sendo escolha dele se conectar a ela ou não.

Atenção aqui!

É muito importante que a autenticação aconteça da forma mais simples possível. Uma vez que o seu cliente conecte os dispositivos móveis à rede pública, ela deve passar a operar em todos os seus Spots automaticamente. Isso se faz mantendo o mesmo BSSID em toda a rede ou usando técnicas de Hotspot aberto.

3) Oferecer Wi-Fi em áreas de alta densidade

Diferente da técnica 2, em que o objetivo é a diversificação da distribuição de locais para realizar a interoperabilidade, aqui a questão é o volume de usuários conectados.

ISP’s podem configurar zonas Wi-Fi em locais como:

  • Shoppings
  • Bibliotecas
  • Cinemas
  • Aeroportos
  • Edifícios Comerciais, etc.

Eles podem fornecer o serviço com base em assinatura ou em uma base pré-paga de curto prazo.

O usuário, principalmente os não clientes, podem comprar os serviços por um determinado período de tempo, dependendo de sua necessidade.

Hoje as operadoras de telefonia móvel preferem fazer parceria a ter seu próprio Wi-Fi, e a única razão é que muitos recursos são necessários para configurar e operar zonas de hotspot em diferentes áreas de uma determinada cidade.

Além disso, para manter a funcionalidade e a qualidade do serviço em cada um dos locais, é necessário novamente que elas gastem uma quantidade substancial de recursos (CAPEX).

Por isso, as operadoras móveis preferem firmar parceria com os ISP’s já presentes na área.

As operadoras de telefonia móvel podem vender sua largura de banda para o provedor e os mesmos podem cuidar da manutenção e da qualidade do serviço. Dessa perspectiva, os provedores têm uma boa oportunidade de aumentar sua receita no mercado atual.

4) Integração Publicitária com empresas locais:

Outra maneira de o provedor gerar receita é por meio de campanhas publicitárias direcionadas.

Como os ISP’s já têm presença em diferentes áreas, eles têm a opção de buscar anúncios direcionados. Isso permite a geração de mais receita e ajuda as empresas locais a divulgarem sua marca.

5) Crie uma melhor experiência para reduzir a rotatividade e melhorar a referenciabilidade

E chegamos à última técnica!

É sempre preciso repetir que a boa experiência do cliente com o seu provedor tem um grande impacto no churn (cancelamento).

Tanto para a aquisição de novos clientes, quanto para a retenção dos clientes existentes, essa experiência inclui serviços pós-venda, suporte técnico, tempo total de inatividade na rede, etc.

Isso gera senso de confiança entre o seu provedor e o cliente. Eles sentem que o dinheiro que gastam vale cada centavo, resultando em um churn improvável.

Há uma alta probabilidade de eles recomendarem seus serviços para amigos e familiares, sem necessidade de investimento em propagandas caras.

Somos a Voz e Dados

Lembre-se: isso tudo se constrói com tempo e dedicação.

Podemos resumir o que vimos em três tópicos:

  • Serviço de atendimento ao cliente aprimorado
  • Ofertas de serviços inovadores
  • Parcerias estratégicas

Seu resultado? A maximização da receita e menos gastos com a CapEX!

A Voz e Dados é uma empresa especializada em tecnologia, que atua há mais de 10 anos capacitando e auxiliando provedores de internet com os melhores cursos e treinamentos presenciais e à distância.

O seu sucesso é o nosso sucesso amigo provedor! Bons negócios!

 

Deixe uma resposta